Aprendendo a controlar o estresse

Dia desses, em um congresso internacional sobre estresse, ao explicar para a platéia a forma de controlá-lo, o palestrante levantou um copo com água e perguntou:

– Qual o peso deste copo d’água?

As respostas variaram de 250g a 750g.

O palestrante, então, disse:

– O peso real não importa. Isso depende de por quanto tempo vocês seguram o copo levantado. Se o copo for mantido levantado durante um minuto, isso não será um problema. Se eu mantiver o copo levantado por uma hora, acabarei com dores no braço. E se eu ficar segurando um dia inteiro, provavelmente terei cãibras dolorosas e vocês terão de chamar uma ambulância.

E ele continuou:

– E isso acontece também com o estresse e a forma como o controlamos. Se vocês carregam suas cargas por longos períodos, ou o tempo todo, cedo ou tarde as cargas começarão a ficar incrivelmente pesadas e, finalmente, vocês não serão mais capaz de carregá-las. Para que o copo de água não fique pesado, vocês precisam colocá-lo sobre alguma coisa de vez em quando e descansarem antes de pegá-lo novamente. Com as nossas cargas acontece o mesmo. Quando estamos refrescados e descansados nós podemos novamente transportar nossas cargas.

Em seguida, ele distribuiu um folheto contendo algumas formas de administrar as cargas da vida, que eram:

Aceite que há dias em que você é o pombo e outros em que você é a estátua.

Mantenha sempre suas palavras leves e doces, pois pode acontecer de você precisar engolir todas elas.

Se você emprestar dinheiro a alguém e nunca mais encontrar essa pessoa, provavelmente valeu a pena pagar esse preço para se livrar dessa má pessoa.

Nunca compre um carro que você não possa manter. Nem um apartamento.

Quando você tentar pular obstáculos, lembre-se que estará com os dois pés no ar e sem nenhum apoio.

Ninguém se importa se você consegue dançar bem. Para participar e se divertir no baile, levante, dance e pronto.

Lembre-se que é o segundo rato que come o queijo – o primeiro fica preso na ratoeira. Saiba esperar.

Se tudo parecer estar vindo na sua direção, provavelmente você está no lado errado da estrada.

Podemos aprender muito com uma caixa de lápis de cor. Alguns têm pontas aguçadas, alguns têm formas bonitas e alguns são sem graça. Alguns têm nomes estranhos e todos são de cores diferentes, mas todos são lápis e precisam viver na mesma caixa.

Não perca tempo odiando alguém, remoendo ofensas e pensando em vingança. Enquanto você faz isso a pessoa está vivendo bem feliz e você é quem se sente mal e tem o gosto amargo na boca.

Quanto mais alta é a montanha mais difícil é a escalada. Poucos conseguem chegar ao topo, mas são eles que admiram a paisagem do alto e fazem as fotos que você admira dizendo “queria ter estado lá”.

Uma pessoa realmente feliz é aquela que segue devagar pela estrada da vida, desfrutando o cenário, parando nos pontos mais interessantes e descobrindo atalhos para lugares maravilhosos que poucos conhecem.

Portanto, antes de voltarem para casa, depositem suas cargas de trabalho ou as cargas da vida no chão. Não carreguem isso para suas casas. Amanhã é um novo dia e vocês poderão voltar e pegá-las; porém, com mais tranquilidade.

Vivam bem as suas vidas; neste mundo vocês a terão somente uma única vez.

Fonte: http://www.simplescoisasdavida.com/aprendendo-a-controlar-o-estresse/

Obrigada Senhor por permitir que eu tenha inspirações e ideias para compartilhar com meus colegas internautas... Que venham mais posts!!!

Anúncios

Amizade

Mas afinal, o que é amizade?
Ser amigo não é apenas conhecer ou conversar com alguém.
Amigo é aquele que mesmo numa situação difícil, está com você.
Amigo é aquele que te abraça de tal modo que você sente seu coração, sente sua presença.
Amigo é aquele que te ama como irmão, te cuida como pai, te reprime como chefe, te guarda como anjo.
Amigo e aquele que mesmo sem tempo, te manda um  email, um torpedo, uma mensagem qualquer, para te dizer um olá, para te desejar um bom dia…
Amigo é aquele que some de repente, mas volta da mesma forma com mil e uma novidades.
Amigo é aquele que lembra do teu aniversário, mesmo que atrasado e te dá parabéns por mais um ano de vida.
Amigo é aquele que briga, fica irritado mas sabe perdoar e pedir perdão.
Amigo é aquele que te ouve, sem dizer uma palavra sequer e depois te dá todos os conselhos que você precisava.
Amigo é aquele que fala o que você precisa ouvir e não aquilo que você quer ouvir.
Amigo é aquele que mesmo ausente está presente em seus pensamentos, nas boas lembranças, nas risadas intermináveis… Amigo.

Quantas pessoas passaram pela tua vida e chamaste de amigo e hoje não passa de uma lembrança, uma boa lembrança?

Quantas vezes choraste por alguém que acreditava ser teu amigo mas o sentimento não era recíproco?

Muitos amigos se foram, tomaram outros rumos, e quantos ainda estão por vir?

Plante o bem que colherás somente bons frutos, como bons amigos.

Deus é meu amigo sem mesmo eu pedir, sem mesmo lhe chamar.

A vida é muito maravilhosa para ser vivida na solidão.

#CCS

Obs: Não resisti e coloquei a foto de ótimos atores de uma de minhas séries favoritas.

Deficiente” é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
Louco” é quem não procura ser feliz com o que possui.
Cego” é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
Surdo” é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
Mudo” é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
Paralítico” é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
Diabético” é quem não consegue ser doce.
Anão” é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
Miseráveis” são todos que não conseguem falar com Deus.

A amizade é um amor que nunca morre.

Deficiências, por Mario Quintana

Geralmente, quando uma pessoa exclama Estou tão feliz!, é porque engatou um novo amor, conseguiu uma promoção, ganhou uma bolsa de estudos, perdeu os quilos que precisava ou algo do tipo. Há sempre um porquê. Eu costumo torcer para que essa felicidade dure um bom tempo, mas sei que as novidades envelhecem e que não é seguro se sentir feliz apenas por atingimento de metas. Muito melhor é ser feliz por nada.

Digamos: feliz porque maio recém começou e temos longos oito meses para fazer de 2010 um ano memorável. Feliz por estar com as dívidas pagas. Feliz porque alguém o elogiou. Feliz porque existe uma perspectiva de viagem daqui a alguns meses. Feliz porque você não magoou ninguém hoje. Feliz porque daqui a pouco será hora de dormir e não há lugar no mundo mais acolhedor do que sua cama.

Esquece. Mesmo sendo motivos prosaicos, isso ainda é ser feliz por muito.

Feliz por nada, nada mesmo?

Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza. “Faça isso, faça aquilo”. A troco? Quem garante que todos chegam lá pelo mesmo caminho?

Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando “realizado”, também. Estando triste, felicíssimo igual. Porque felicidade é calma. Consciência. É ter talento para aturar o inevitável, é tirar algum proveito do imprevisto, é ficar debochadamente assombrado consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo?

Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo.

Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem.

Se é para ser mestre em alguma coisa, então que sejamos mestres em nos libertar da patrulha do pensamento. De querer se adequar à sociedade e ao mesmo tempo ser livre. Adequação e liberdade simultaneamente? É uma senhora ambição. Demanda a energia de uma usina. Para que se consumir tanto?

A vida não é um questionário de Proust. Você não precisa ter que responder ao mundo quais são suas qualidades, sua cor preferida, seu prato favorito, que bicho seria. Que mania de se autoconhecer. Chega de se autoconhecer. Você é o que é, um imperfeito bem-intencionado e que muda de opinião sem a menor culpa.

Ser feliz por nada talvez seja isso.

Feliz por nada, por Martha Medeiros